sábado, 8 de novembro de 2008

Não perca, transforme

Quando comprei aquele lindo pedaço de lombo de atum, a idéia era comê-lo cru. Ou quase: levemente grelhado com uma crosta de sementes de gergelim e molho de gengibre e shoyo. Estava fresquinho, brilhante, firme. Entretanto, o telefonema de uma amiga que não via há tempos e a perspectiva de um chope cretinamente gelado acabou por mudar os planos. O atum foi para a geladeira e eu, para a Vila Madalena. Só fui me lembrar dele um dia depois. E não recomendo para ninguém consumir um peixe que está há dois dias na geladeira, quase cru. Apesar da vendedora da peixaria jurar que na manhã da compra o peixe estava vivo, cá entre nós, duvido muito. Entre a pesca no litoral, o transporte, a venda para o varejo e a chegada na banquinha, no mínimo dois dias já haviam se passado. Experimentei fazer uma variação, com os mesmos ingredientes da receita original, mas usando o atum cozido e gostei. Deixo aqui as duas receitas:

Nenhum comentário: